12 julho 2015

[DOMINGAS] Da Flor ao Espinho



Nem sempre cercada por livros, nem todo dia rodeada de flores, mas sempre aqui.

Tenho muitas marcas. Não nego. A despeito do que se pode pensar, a vida não é necessariamente tão boa para as pessoas que hoje sorriem sempre que encontram uma oportunidade - para aquelas poucas pessoas que descobriram o poder de um sorriso para tornar o próprio dia mais iluminado. E nós sorrimos.

Mas aquelas que tenho são marcas de guerra, lembretes do que enfrentei, de tudo que descobri, dos desafios encarados e de que sobrevivi. E tenho orgulho delas, porque não me derrubaram: tornaram-me mais forte. Eu mergulho nelas, em suas consequências, e me permito invadir pelo alívio da sabedoria empírica.


Assim, não há mais espaço para o medo em tempo integral - muito embora uma boa dose de nervosismo seja essencial em qualquer etapa da vida: é ele quem nos impede de nos afogarmos na auto-suficiência. Tenho marcas o suficiente. E receberei as próximas com o máximo de serenidade que puder reunir. Já sei aonde elas me levarão, e não tenho medo.


A ESCOLHA, p. 144


A strange thing happened to me before I even saw
My life had flashed before me and I've got the mark to show
And it became a thang of beauty
So I gotta let you know that my life, that my life
It's been hard for me.

(Mary J. Blidge)

Comentários via Facebook

1 Comentários:

  1. This :)
    Como você esta?
    Saudades daqui >.<
    Curti o texto e o trecho que citou *----*

    Beijão e tenha uma boa semana

    Rimas Do Preto

    ResponderExcluir

Obrigada pela presença e participação! ATENÇÃO: Todos os comentários são moderados. Aqueles considerados inapropriados à nossa política serão automaticamente excluídos. Comentários anônimos não serão aceitos.