25 julho 2015

[RESENHA] Fallen (Lauren Kate)



Algo parece estranhamente familiar em relação a Daniel Grigori. Solitário e enigmático, ele chama a atenção de Luce logo no seu primeiro dia de aula no reformatório. A mudança de escola foi difícil para a jovem, mas encontrar Daniel parece aliviar o peso das sombras que atormentam seu passado: um incêndio misterioso que provocou a morte de seu namorado levou Luce até ali. Irremediavelmente atraída por Daniel, ela quer descobrir qual é o segredo que ele precisa tanto esconder - uma verdade que poderia matá-la. Algo que, em suas vidas passadas, Daniel não conseguiu evitar.
KATE, Lauren. Fallen. 20 ed. Rio de Janeiro: Galera Record, 2012, 401 p.

Por volta da meia-noite, seus olhos finalmente tomaram forma... (p. 11)

Nunca pensei, na vida, em fazer uma resenha negativa, mas há uma primeira vez para tudo, não é? Fui com muita sede ao pote, talvez, mas Fallen me decepcionou profundamente. Claro, como boa leitora, eu não construiria juízos de valor antes da leitura integral dele. Literatura fantástica apela ao meu coração, que ama o estilo. Tenho ciência do sucesso do livro e da autora, da saga, em geral, e também do filme que, logo mais, estreará nos cinemas, mas devo dizer que, ao menos para mim, o primeiro volume não provocou aquele comichão de ansiedade pelo próximo livro, ou pela adaptação. Pensei em abandoná-lo umas mil vezes, mas como boa leitora, tive de ir até o fim, sofrivelmente.

Infelizmente, ele foi um daqueles livros de leitura tão arrastada que parecia que eu estava lendo para trás, contava as páginas para acabar, cada capítulo era longo demais. Estava há muito tempo na minha estante e só comecei a ler em Abril deste ano - curiosamente, nunca amarelou suas páginas - não tem uma mancha! Em compensação, é super pesado. A Galera caprichou no papel, e este foi mais um ponto negativo. Gosto de ler deitada e ele cansa os braços rapidamente. Tenho um de mais de 500 páginas, que não pesa tanto.

Eu não posso reclamar da narrativa de Lauren Kate; tampouco tenho como elogiá-la, pois acredito que o que motiva um leitor a seguir em uma história é aquela série de ganchos que ocorre em seu cérebro, na sua curiosidade sobre como aquilo tudo vai acabar. Reconheço que o final valeu pelo livro inteiro, e eu teria ido diretamente a ele.

Não seria segunda-feira se Ariane não fosse levada para a enfermaria depois de uma crise".(p. 65)
Luce não tem o mínimo carisma para uma protagonista, e teve espaço demais, em comparação a personagens excelentes, que tinham meros segundos de atenção - como Gabbe, Ariane. De fato, o que me divertia nela eram as cenas com Cam, que sempre deixou tudo mais interessante.

- Bem, agora que derrubamos os livros um do outro, o próximo passo não seria nossas mãos acidentalmente se tocando enquanto nos abaixamos para apanhá-los? (p. 258)
A perseguição atrás de Daniel é tão sem sentido, e o jogo dela com Cam também só se faz entender no final, que, quando finalmente ocorrem momentos esperados, meu coração não palpitou nem um pouco. Só falei: "Err, até que enfim." Entre este e Sussurro (com sua fonte mínima), eu leria Hush Hush incansavelmente. Fallen pode ser ótimo, mas não foi a melhor leitura para mim, nem pretendo reler.


Comentários via Facebook

1 Comentários:

  1. Minha prima emprestou esse livro pra minha mãe e toda vez que eu perguntava "E aí, o que achou?" Minha mãe me olhava com uma cara de sofrimento e falava "Ah, mais ou menos". Aí eu sabia que tava ruim. Haha Eu li sua resenha em voz alta e ela compartilha a mesma opinião, só terminou de ler o livro porque já tinha começado. Eu ainda não li e tenho minhas duvidas se vou ler ou não. Tem séries que realmente é difícil entender porque fez tão sucesso, né?

    ResponderExcluir

Obrigada pela presença e participação! ATENÇÃO: Todos os comentários são moderados. Aqueles considerados inapropriados à nossa política serão automaticamente excluídos. Comentários anônimos não serão aceitos.