02 julho 2015

[RESENHA] Superação (Nick Vujicic)

 Nick Vujicic sabe que não existe esperança maior do que confiar nos planos de Deus para a sua vida. Nascido sem os braços e as pernas, Nick já vivenciou picos de confiança e também já se entregou ao desespero. E ele superou todas as circunstâncias e barreiras físicas ao abraçar sua fé e compreender o amor sem limites e o poder que Deus concede todas as pessoas. Agora, Nick deseja que você renove a sua esperança. (...) A atitude positiva deste palestrante admirado em todo o mundo e o seu encorajamento baseado na Bíblia irão transformar sua vida e mostrar que você pode superar qualquer limitação, porque Deus não conhece limites. (Skoob)
VUJICIC, Nick. SUPERAÇÃO. trad. Paulo Polzonoff Jr. Ribeirão Preto: Novo Conceito, 2014, 160 p.
Skoob (livro)
Skoob Fanpage (autor)


O livro me surpreendeu de uma forma muito positiva.
Já conheço os livros e a escrita do Nick, e houve nesta publicação um avanço incrível. O livro fez parte de um desafio que impus a mim mesma, e pude lê-lo em um dia.

Fui o primeiro filho deles e com certeza uma surpresa. (...) ela e meu pai ficaram assombrados quando nasci sem os membros. Como todos os bebês, não vim com um manual de instruções, mas meus pais com certeza teriam aceitado um pouco de orientação. Eles não conheciam outros pais cujos filhos nasceram sem membros num mundo projetado para pessoas completas. (p. 17)

Este é o segundo livro de Nick que tenho o prazer de resenhar. Nós já o conhecemos por dois livros prévios: UMA VIDA SEM LIMITES e INDOMÁVEL. E porque ele nasceu com a Síndrome Tetra-amelia, que impediu o crescimento de seus braços e pernas. Mas Nick é depressivo? Não mais! Ele transformou o que seria sua maior fraqueza em seu maior ponto de força, e vive para testemunhar os milagres de Deus em sua vida, além de nos dar preciosas dicas.

Estou aqui para dizer que, sejam quais forem as circunstâncias, enquanto você estiver respirando, tem uma contribuição a dar. (p. 25)

O que mais admiro em Nick é a certeza que ele nos transmite de que não há nada como confiar nos planos de Deus para as nossas vidas. Nascido sem braços e pernas, ele já foi do extremo da esperança ao poço mais amargo do desespero e desilusão. Mas supera as dificuldades e barreiras, venceu preconceito e circunstâncias, além da previsão de uma vida de limitações com o que ele tem de sobra em seu coração: FÉ EM DEUS. Nick veio ao mundo com uma missão: provar que nada, NADA (nem mesmo uma síndrome que te faz nascer sem membros inferiores e posteriores, em uma sociedade em que imagem e aparência significam tudo) é motivo grande o bastante para termos raiva de Deus.


A essência da vida não é ter, mas ser. Você pode se cercar de tudo aquilo que  o dinheiro pode comprar e mesmo assim se sentir um ser humano completamente infeliz. (p. 30)

No primeiro livro, notei que ele era entusiasmado demais, talvez até um pouco iludido, tanto é que os textos ficaram extensos demais, e a fonte pequena não ajudou. Neste, porém, ele está mais centrado, conciso, apresenta textos curtos e objetivos - embora dotados da quantidade certa de subjetividade para fazer você chorar e até sentir vergonha de suas atitudes, logo nas primeiras páginas. 

O livro é estruturado em forma de pregações: ao logo de 50 capítulos, Nick sempre os abre com uma passagem bíblica e tece um breve texto relacionando aquela passagem com momentos de sua vida, de sua caminhada. Ele fala de tendências autodestrutivas; de como é prejudicial focar nas coisas que não podemos fazer, em vez de apreciar aquilo que podemos; em alguns pontos, ele recaiu na simpatia forçada que parece irreal demais para ser verdade, e até se repetiu em outros momentos, mas nada que prejudique o texto - aliás,  muito bem revisado. Por isso, não levará todas as estrelas hoje.

Vale a pena ser lido.


Comentários via Facebook

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela presença e participação! ATENÇÃO: Todos os comentários são moderados. Aqueles considerados inapropriados à nossa política serão automaticamente excluídos. Comentários anônimos não serão aceitos.