24 agosto 2015

[RESGATE] Resenha STEAMPINK (Antologia, EDITORA ESTRONHO)

Uma antologia escrita apenas por mulheres, que nos trará o universo steampunk sob o ponto de vista feminino. Que aventuras nos serão oferecidas? Mistérios, assassinatos, romances? Veremos novas máquinas e acessórios? Vestuários ricos em detalhes... Será que teremos ambientes hostis? A familia será retratada? Crianças? Não há limites para que essas mocinhas possam nos brindar com o seu talento. As antologias da Editora Estronho, mesmo mistas, provam que nossas autoras são capazes de surpreender até o mais exigente dos leitores. E por que não, prestar-lhes mais essa homenagem, para que descrevam esse universo com a habilidade que lhes é peculiar? Organização de Tatiana Ruiz e prefácio de Romeu Martins.




Dizem que um médico não pode operar quando o caso é na sua família. Mas isto nunca impediu familiares de doutores de irem parar no hospital em algum momento, não é? Além do mais, eu também sou resenhista e, por isso, com alegria resenho Steampink, coletânea de que participo com um conto; espero que apreciem o livro tanto quanto eu. Por uma questão Ética, tentarei ser o mais imparcial possível, a resenha apresentará uma opinião geral dos contos, o livro não terá nota no blog e a citação abaixo é do nosso querido prefaciador, Romeu Martins.


SteamPink é uma antologia organizada e escrita sob o olhar feminino, e já chegou fazendo barulho desde o anúncio da seleção de autoras [Se vocês lembram da polêmica gerada pelo título]. Mas o que poucos consideraram "pejorativo" (a associação entre o Steampunk + o Pink como representação feminina), eu considerei brilhante, e comentei com amigos que eu teria este livro na minha estante, participando dele ou não.


O que me fascina em antologias de contos é a possibilidade de ler várias histórias em um único livro. Ao terminá-lo, fechamos os olhos e podemos imaginar-nos com amigos ao redor de uma fogueira, à noite, dividindo "causos" de mistério, de aventura ou terror, compartilhando um grande momento e aquelas histórias. A sensação foi a mesma ao concluir Steampink, mas com o toque do charme feminino e o sabor agridoce da ciência e da inovação na Era Vitoriana.


O prefácio ficou por conta do amigo Romeu Martins e a diagramação de fazer cair o queixo é obra do editor Marcelo Amado. Depois de comentários de leitores brasileiros e no exterior, resenhas, tweets, não posso negar que estava curiosa para ver o resultado de perto. E ele superou as minhas expectativas! Eu não me canso de folhear o livro, admirando-o da capa ao interior, porque o trabalho ficou primoroso. Há diversos tipos e tamanhos engrenagens, por todas as páginas, além de outros detalhes, como mariposas, borboletas e relógios de ponteiro. Inclusive, no início de cada conto, vemos engrenagens com informações sobre ele e as iniciais da autora em questão.





O livro tem contos que me causaram arrepios, e bem poderiam ter sequência; alguns rápidos e diretos, outros que exigem mais da nossa atenção; histórias profundas, embarcando em importantes questões da tecnologia x humanidade; paixão, ação, aventura, contos de fadas ou de terror correndo sobre os trilhos da história. Algo que me chamou a atenção foi que, apesar de as autoras viverem em lugares tão distantes uma da outra e de muitas não se conhecerem antes da antologia, alguns contos apresentam conexões inesperadas, que vão além do steampunk - sejam elementos naturais em comum, membros mecânicos surpreendentes, a eterna busca por uma resposta ou os corvos que fazem seus rasantes de um conto a outro.


Há mulheres que vão da insegurança à força em um piscar de olhos; decididas, cada qual marca a época em que vive ou mergulha – seja através de sua máquina do tempo, seja pela ponta de sua pena. Firmes figuras que sabem o que querem e dominam seus campos de atuação. A revisão da primeira tiragem teve alguns contratempos, mas o problema foi verificado e corrigido posteriormente.


Fiquei surpresa com a criatividade das meninas, desde os órgãos mecânicos ao pano de fundo histórico dos contos que exigiram bastante pesquisa e domínio do assunto. Imperador e Imperatriz, aves negras, mulheres que quebram paradigmas e estereótipos de seu tempo, mostrando-se muito à frente dele. Horror, viagens no tempo, um conto de fadas bem steamer, os homens e damas do mar, aves de comportamentos singulares e os riscos que acompanham o progresso da ciência são apenas alguns dos elementos que você encontrará no livro. Eu li, adorei e espero que todos curtam tanto quanto eu o/ 

A antologia Steampink apresenta os contos:



Uma pequena amostra do super Design interno - obra de Marcelo Amado.


Capa Aberta

Comentários via Facebook

8 Comentários:

  1. Nossa This!
    Nem sei o que escrever! Acho que meu comentário vai se resumir ao meu humilde parabéns por você fazer parte desse time!
    Tenho certeza que o resultado final foi primoroso! Tem que estar muito orgulhosa mesmo!

    Parabéns!

    Beijinhos,

    Dani / @daride

    ResponderExcluir
  2. Oi This!
    Adorei a idéia de você resenhar o livro!
    Também gosto da idéia de ler várias histórias em um só livro, mas eu prefiro as narrativas únicas! Isso, de qualquer forma, não me impede de ler um livro de contos!
    Achei genial a idéia de nome do livro, não sabia que era essa a origem do título!
    A diagramação ficou mesmo incrível e fiquei curiosa pra ler os contos, gostei desse ponto de vista feminino!
    Beijão!

    ResponderExcluir
  3. Ai Thisss, agora vc me deixou ainda mais com água na boca de ter esse livro em minhas mãos, ele é lindo demais, e com uma idéia original dessa imagino o primor que não deve estar!

    E foi ótima sua colocação sobre nos sentirmos em volta da fogueira contando causos fantásticos! Nossa, já pensou se pudessemos realmente fazer isso? Isso ser um barato hein! Mas de certa forma podemos, né? As paginas do livro conseguem, mesmo a distancia, nos reunirem, para falarmos uma lingua comum.

    Lindo seu post!

    Bjãooo querida!!

    ResponderExcluir
  4. Oi, This! Valeu por mais uma divulgação! O livro realmente é lindo, encantador, tudo de bom! (Tá, eu sou suspeita, rss...)

    ResponderExcluir
  5. Eu amo livros de contos, então me interesse muito por esse livro, li esses dias Espectra que é nacional,, os livros nacionais estão se igualando aos estrangeiros,estamos ficando ótimo!

    ResponderExcluir
  6. Caaaaaramba! Você está num livro, que demais!
    Não sabia que SteamPink era um livro de contos. Achei que fosse uma história só, e nunca me achou a atenção, mas agora parece ser super legal!
    Adoro livros com vários contos!

    Renato
    http://between-letters.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Nossa livros de contos me fascinam e quero muito ler este.
    Ele tem uma capa fantástica, adorei.

    ResponderExcluir
  8. Obrigado pela diga. A seleção dos contos da Estronho parece estar muito legal.

    Abraço


    Papos Literários

    ResponderExcluir

Obrigada pela presença e participação! ATENÇÃO: Todos os comentários são moderados. Aqueles considerados inapropriados à nossa política serão automaticamente excluídos. Comentários anônimos não serão aceitos.