17 outubro 2015

[ENTREVISTA] Neyvile Lucas (Mar Noturno)

Bom dia, pessoal! O mais novo autor do pedaço é Neyvile Lucas, que acaba de lançar seu primeiro livro, "MAR NOTURNO", pela Chiado Editora, de Portugal. O jovem, natural de João Pessoa, tem apenas 15 anos e é filho de uma professora e um radialista da cidade em que mora. Potterhead assumido, ele conversou comigo e vocês conferem o resultado abaixo!



O AUTOR
Meu nome é Neyvile Lucas, tenho 15 anos e sou virginiano (rsrs). Leio quase tudo da área da ficção, mas a distopia não me agrada muito (por favor, não me matem!). Estou no Segundo Ano Médio e pretendo me formar em medicina. Sou louco por leitura desde a infância e sou Potterhead declarado.
COMO TUDO COMEÇOU
Desde pequeno, sempre gostei de escrever algumas histórias de acordo com o meu ponto de vista. Em sua maioria, eram histórias da Mitologia Grega, mas também me agradava escrever finais alternativos para alguns livros que eu lia. Eu tinha muita vontade de escrever um livro quando criança, então acho que é, sim, um sonho de criança, muito embora a aproximação com a série Harry Potter tenha, sem dúvida alguma, trazido à tona essa ambição. Acho que serviu como um pavio.



A HISTÓRIA
O livro conta a história de Daniel, um garoto de 16 anos de idade, que ouve acidentalmente uma conversa entre a diretora e a coordenadora da sua escola, algo sobre um porão existente ali - um lugar do qual Daniel nunca ouvira falar antes; o tom de medo que prevalecia na conversa das duas desperta a curiosidade do garoto. Teimoso e inconsequente, ele descobre que o porão realmente existe e entra no local. De repente, as consequências desse simples ato vêm à tona, e Daniel percebe o erro que cometeu. Agora, ele terá de lutar para salvar a si mesmo e a todos que o rodeiam, batalhando contra os vestígios de um mistério de dez anos atrás.

ENTREVISTA

THAY GOMEZ: Lucas, obrigada por conceder esta entrevista! Bom, geralmente, começo com a seguinte questão... Que livro marcou a sua infância?
NEYVILE LUCAS: Olá, Thay! Eu que agradeço pelo convite! Respondendo sua pergunta: Vários livros passaram por mim durante minha infância, e cada um deixou uma marca comigo, mas, sem dúvidas, o livro "Quem Mexeu no Meu Queijo?", de Spencer Johnson, foi o que mais me marcou, por ser um livro tão simples e passar uma mensagem tão poderosa.

TG: Você não curte os clássicos da nossa literatura, confere? Por quê? Há chances de mudar de opinião? (Aqui fala uma fã de Machado, huhu ^^)
NL: Não creio que haja realmente um motivo. Para ser sincero, acho que ainda não encontrei o clássico certo para mim, se bem que "O Alienista", de Machado de Assis, é bem legal. Com certeza, há chances de que minha opinião seja mudada. Nunca se sabe, né? Talvez amanhã eu seja um amante de clássicos. (Risos).

TG: Na condição de leitor, o que espera de um livro?
NL: Pode parecer clichê, mas espero que um livro me surpreenda e que passe uma mensagem que sirva para algo em minha vida. Detesto livros com finais feitos para agradar o leitor, acho que isso empobrece uma obra. E também não gosto de ler livros que não sirvam de nada para mim, que não construam nada no meu intelecto.

TG: Se pudesse ser um personagem da ficção e tivesse a liberdade de ir a qualquer lugar da literatura, quem escolheria ser e aonde iria?
NL: Nossa, que pergunta difícil! Bem... Deixando um pouco para trás meu lado Potterhead, creio que gostaria de ser Leo Valdez, da série "Os Heróis do Olimpo", Rick Riordan. Acho que o escolheria graças à sua personalidade: Extremamente brincalhão e divertido, mas, ao mesmo tempo, altamente inteligente. Além disso, eu sempre quis aprender Código Morse! Sem dúvidas, eu iria ao Acampamento Meio-Sangue.

TG: Todo autor vive na expectativa do próximo livro. O seu primeiro é parte de uma série? Para seus próximos trabalhos, você pensa em abordar outro gênero?
NL: "Mar Noturno" é um livro único. No entanto, estarei iniciando em breve o terceiro e último livro de uma trilogia. Respondendo sua última pergunta: Sim! Tanto que a trilogia tem como gênero a fantasia, e já tenho planos para outras histórias que abordem um lado mais dark, rs.

TG: Como bom Potterhead, você teve influência da escrita de J. K. Rowling?
NL: Creio que não houve influência em se tratando de vocabulário, mas, sem dúvidas, ela influenciou muito minha vida como escritor, já que, como disse antes, "Harry Potter" serviu como um incentivo para que eu embarcasse de verdade no mundo da escrita.

TG: Qual a sua maior expectativa sobre o lançamento de seu primeiro livro aqui, na sua cidade?
NL: Espero que seja algo memorável para mim e para todos os convidados, e que o conteúdo do livro seja tão bom quanto as pessoas esperam que seja.

TG: Gostaria de deixar um recado para seus leitores e fãs?
NL: Aos meus futuros leitores, espero que a história possa envolvê-los da mesma maneira que me envolveu durante a escrita, e que vocês possam expandir seus horizontes cada vez mais, nunca se prendendo num único gênero ou assunto. Façam isso e prometo que tentarei ler distopias, rsrs. Para encerrar, gostaria de deixar um recado para qualquer pessoa que esteja lendo isso e que tenha vontade de revelar seu dom de escrita e se sinta acanhado: Não tenha medo! É fato que muitas pessoas não gostarão do que você escreve, muitas dirão coisas ruins e atirarão pedras em você. Mas, em contrapartida, muitas mais simplesmente irão se apaixonar, irão defender com unhas e dentes sua obra e construirão escudos ao seu redor, impossibilitando que as pedras atinjam você. E é para essas pessoas que você deve escrever. Essas pessoas farão valer a pena todas as horas gastas e todas as madrugadas de sono. Se você acha que não tem capacidade de escrever um livro, besteira! Todos são capazes, basta querer e se dedicar, e não cair na ilusão de que escrever é apenas passar para o papel palavras que sua mente expila. Muito mais do que isso, é transmitir emoções, sentimentos; é saber usar uma peneira e separar o que é ou não construtivo para sua história. É saber quando é que você deve se sentar e pôr o corpo e a mente para trabalharem. Se acha que não tem tempo para isso, tente desgrudar um pouco da TV, do computador e do celular. Você vai ver que tempo não falta. ;)


É JOGO RÁPIDO!

·         Um livro nacional: A Ilha Perdida – Maria José Dupré

·         Um livro estrangeiro: A Menina Mais Fria de Coldtown – Holly Black

·         Um escritor brasileiro: Renata Ventura

·         Um escritor estrangeiro: J. K. Rowling :3

·         Um gênero literário: Fantasia

·         Um filme: Pânico

·         Um Lema de vida: Ser feliz, sabendo que isso depende apenas de mim mesmo.

·         Uma citação: “São as nossas escolhas que revelam o que realmente somos, muito mais do que as nossas qualidades” – J. K. Rowling

          Um personagem: Della Tsang, série Acampamento Shadow Falls, C. C. Hunter
·       
       Leitura do momento: 1. Brutal, de Luke Delaney; 2. Laços do Espírito, de Richelle Mead; 3. Anoitecer, de L. J. Smith

·         Um dia ou ano que te marcou: Sem dúvidas, o ano de 2015, pois vem trazendo muitas respostas para muitas perguntas.

·    Escrita: Inspiração ou transpiração? Digamos que 10% de inspiração e 90% de transpiração


    Saibam como entrar em contato com Lucas abaixo o//

REDES SOCIAIS
(Para contato do público):

FACEBOOK: /neyvile.lucas

TWITTER: @neyvilelucas


SKOOB (AUTOR): NEYVILE LUCAS

SITE: Podem também me acompanhar através do meu site: www.neyvilelucas.com

Comentários via Facebook

1 Comentários:

  1. muito bom,boas perguntas sabias respostas,mais não se deslumbre com o sucesso pois os mesmos que te aplaudem são os mesmos que te coloca na geladeira.graça e paz.Nazareno luis de Oliveira.

    ResponderExcluir

Obrigada pela presença e participação! ATENÇÃO: Todos os comentários são moderados. Aqueles considerados inapropriados à nossa política serão automaticamente excluídos. Comentários anônimos não serão aceitos.