06 dezembro 2015

[DOMINGAS] O Lago

Fico triste quando não consigo escrever o que quero, quando quero e o quanto quero. Posso passar horas planejando um texto e, ao fim do dia, chegar a lugar nenhum. Simplesmente porque há coisas demais na cabeça, e umas se sobrepõem às outras de tal forma negligenciada, desordenada, por vezes, tresloucada, que os pensamentos não se sucedem na ordem desejada. Na ordem devida.

E então, permito-me fechar os olhos e apreciar a chuva de ideias, devaneios, ilusões que querem permear minha mente e fazer morada ali, em seus terrenos férteis. Deixo que sigam seu curso, tomando forma naquilo que pode provocar a inspiração. Boa parte dessa desordem acaba tomando a forma de lições, de conselhos que minha mente formula para si mesma. E acabo aprendendo sem ter de errar; gostaria que isso acontecesse sempre. Uma das lições mais importantes que aprendi na jornada da minha vida, ao longo dos seus altos e baixos, que se intercalaram entre sorrisos e lágrimas, foi a alegoria do Lago.

Quando não conhecemos bem um Lago, apenas sabemos que tem uma beleza exótica, mas que pode ser perigoso, que já houve alguns afogamentos ali [ele é traiçoeiro e ninguém o conhece por completo], devemos ir com calma; não podemos mergulhar de cabeça e esperar que ali seja plenamente seguro. Você precisa colocar um pé após o outro com tranquilidade, caminhar cuidadosamente pela parte rasa, enquanto avança na água, tateando, para saber onde está pisando, criando segurança para ir em frente, até onde você deseja chegar. No meio do Lago, pode haver pedras escorregadias ou pontiagudas, ou ainda poços profundos escondidos, que te levem para além do alcance de ajuda.

Isso é razão para desistir desse ou de todos os lagos? Talvez sim, talvez não. O presente e o futuro se combinam, na fluidez do tempo, para gerar essa resposta. Mas há, afinal, algo de atraente no perigo. Existe um tom desafiador em querer ir aonde outras pessoas têm medo de chegar. Desistir ou não? Eis a dúvida. Tudo depende do seguinte: você tem certeza de que sabe nadar?


Comentários via Facebook

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela presença e participação! ATENÇÃO: Todos os comentários são moderados. Aqueles considerados inapropriados à nossa política serão automaticamente excluídos. Comentários anônimos não serão aceitos.