18 janeiro 2016

[RESENHA] O Alquimista (Paulo Coelho) Ed. Especial

Quando você quer alguma coisa, todo o Universo conspira para que você realize seu desejo. De tempos em tempos, surge um livro capaz de mudar para sempre a vida de seus leitores. "O Alquimista" é um deles. Com mais de 65 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, o mais famoso título de Paulo Coelho já se estabeleceu como um clássico moderno, atemporal e universal, que segue fascinando públicos cada vez maiores, de diferentes gerações. Simples, sábia e inspiradora, esta história refaz os passos de um pastor da Andaluzia que viaja para o deserto egípcio em busca de um tesouro enterrado nas Pirâmides. O que começa como uma jornada para encontrar bens materiais torna-se uma descoberta das riquezas que escondemos dentro de nós mesmos. As belas lições que Santiago aprende ao longo do caminho nos falam da sabedoria de ouvir o que diz o coração, de ler os sinais com que deparamos ao longo da vida e, acima de tudo, da importância de seguir os nossos sonhos. (FONTE: skoob)
COELHO, Paulo. O ALQUIMISTA. Rio de Janeiro: Sextante, 212, 176 p.


Já dizia Heráclito que "Nenhum homem se banha duas vezes no mesmo rio: nunca é o mesmo homem, nunca é o mesmo rio". Pude comprovar essa tese relendo um livro que, da primeira vez não me provocou nenhuma reação marcante, mas desta, dez anos depois, me fez refletir profundamente com o impacto causado: sobre a minha vida, as minhas convicções, minhas crenças e a ideia da minha Lenda Pessoal.

Para o Desafio que adotei este ano, o do site PopSugar, eu precisava ler um livro Nacional premiado. Escolhi a magnum opus de Paulo Coelho: O Alquimista, que levou, em 2004, o "Nielsen Gold Book Award", na Inglaterra.




Nesse exílio espiritual, aprendi muitas coisas importantes: que só aceitamos uma verdade quando primeiro a negamos do fundo da alma, que não devemos fugir do nosso próprio destino e que a mão de Deus é infinitamente generosa, apesar de Seu rigor. (p. 12)

O livro segue a jornada de Santiago, um Alquimista aprendiz, pastor de ovelhas, que teve um sonho repetidas vezes e, por fim, decidiu investigar e seguir o caminho proposto pelo sonho e sua interpretante para encontrar um possível tesouro escondido sob as pirâmides do Egito. As referências ao Cristianismo são notáveis no livro: o pastor que guia suas ovelhas, o homem escrevendo na areia e o homem de fé que encontrou Cristo, para pedir misericórdia pela vida de seu servo, por exemplo, e as claras extrações de textos bíblicos - entre eles, o Livro de São Mateus.

- Qual é a maior mentira do mundo? - indagou, surpreso, o rapaz.- É esta: em determinado momento de nossa existência, perdemos o controle de nossa vida, e ela passa a ser governada pelo destino. Essa é a maior mentira do mundo. (p. 35)
Aqui e ali surgem obras que não apenas fazem parte da nossa vida, mas  transformam. Se você gostou de ler O Pequeno Príncipe na infância ou adolescência, vai se apaixonar por O Alquimista, na idade adulta. A obra de Coelho se tornou clássica no mundo, uma das mais vendidas - cerca de 65 milhões de cópias - e o desejo de adaptação do ator Lawrence Fishbourne.

Quando você quer alguma coisa, todo o Universo conspira para que você realize o seu desejo. (p. 39)
O livro tem capítulos curtos, o que já atraiu minha atenção para mais um tópico; foi muito bem revisado e, particularmente, eu não encontrei quaisquer erros ortográficos ou textuais nele. A arte de capa e os desenhos internos foram obra de mestre e a Sextante está de parabéns por isso. Digo apenas que outros livros merecem destaque, como BRIDA e MAKTUB, e desejo que a editora os relance com a mesma arte gráfica.

Algumas lições que o livro traz são de suma importância para mim. Como seguir com fé, até realizarmos nossa Lenda Pessoal? Se todos pudessem transformar o chumbo em ouro, de que ele valeria - pois, se é algo que todos podem ter, porque vamos desejar ter? É importante ouvir o que o nosso coração tem a dizer, pois ele fala a Linguagem do Mundo, como não a recordamos mais.
Ninguém consegue fugir do seu coração. Por isso é melhor escutar o que ele diz. (p. 139)
Sobretudo, este é um livro para nos fazer refletir sobre onde está realmente o nosso maior tesouro. Enterrado a quilômetros ou bem debaixo dos nossos pés? Ele existe verdadeiramente ou é apenas um sonho bobo, do qual parecemos não acordar? Vale a pena ouvir os nossos sonhos, enfrentar o mundo e descobrir seus mistérios e belezas antes de ir, de fato, em busca de nosso maior tesouro?

Cruze você também esta jornada de autodescoberta com o pastor Santiago, interprete com ele os sinais enviados pelo deserto, o Sol, o céu, o vento e descubra se ele, de fato, detém o poder da Alquimia.




Comentários via Facebook

1 Comentários:

  1. Olá!
    Não li nada do Paulo Coelho, mas sempre vejo boas recomendações.
    Achei essa edição linda e a história realmente parece densa. Talvez seja uma primeira aposta do autor para mim.

    Abraços
    David
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir

Obrigada pela presença e participação! ATENÇÃO: Todos os comentários são moderados. Aqueles considerados inapropriados à nossa política serão automaticamente excluídos. Comentários anônimos não serão aceitos.