03 junho 2016

[Retorno] Olha eu aqui outra vez!

  
Aquela sensação de semi-liberdade, quando você diz "ESTOU QUASE LIVRE PRA VOCÊS, MEUS BABIES!!!"



Boa noite, amadinhos!

Finalmente, estou chegando à reta final do meu curso de Letras - Língua Portuguesa. No próximo semestre já vou concluir o meu TCC e estarei retomando as atividades do blog, enquanto trabalho no próximo passo da minha vida. Desejem-me sorte e sucesso, pois vou precisar. Apresentei apenas o Projeto de TCC, que foi bem recebido e que fez coro a tudo que defendi e que vivi na blogosfera literária. Sabem quem é o foco do meu Trabalho de Conclusão de Curso, caros leitores? Isto mesmo, jovens brasileiros: VOCÊS.

Percebi, há muito tempo convivendo neste ambiente, que o mito sobre o brasileiro e os adolescentes estarem lendo pouco ganhou força, mas não passa disso: um mito, uma história para boi dormir. Claro, não estou utilizando os devidos elementos técnicos e linguísticos, mas o cerne é esse: Eu sei que vocês leem pouco na escola - ou, pelo menos, boa parte de vocês, pois não são todos os jovens que sentem prazer por ler os clássicos nacionais e universais. Porém, vocês leem bastante fora da escola. Todos os meus seguidores são exemplos disso. Também os meus amigos no Skoob e nos diversos Clubes do Livro de que participo.

A Academia não aceita muito bem todo tipo de Literatura que venda bastante, que seja best-seller, porque tais obras se tornam massificadas. Podem checar as fichas catalográficas dos seus livros: vocês verão nos lançamentos "Ficção nacional" ou "Ficção inglesa" ou "americana", mas nunca Literatura, que só consta nos cânones, nos clássicos. Isso sempre me fez pensar - sobretudo, após estudar a história da Educação, desde a Grécia antiga, que a Literatura - como a Educação já foi - é algo bastante elitista, e que parece focada em grupos menores, que detêm a sabedoria, os recursos, as economias, o poder. Por que não a Literatura, também? Que bom que as coisas mudaram!

Não faz parte do meu projeto promover uma revolução no campo da Literatura canônica, pois sei que isto jamais poderá ser tocado. Eu tenho o maior respeito pela ABL e ainda consigo nutrir aquele sonho juvenil de que um dia farei parte dela, rs.

O que propomos com nossos blogs e IG's literários, com todas as ferramentas que vieram ajudar o mundo da leitura, é que ao menos a escola possa ser mais aberta e democrática perante os novos tipos de ficção que estão surgindo, e a inúmeras obras que venderam milhões de cópias justamente POR CAUSA DE SUA IMENSA QUALIDADE NARRATIVA.

Bem, não posso dizer mais nada, porém quando o trabalho for publicado, poderão conferir aqui. Já tenho outros artigos publicados, se tiverem interesse. Não apenas sobre Distopia, mas Relações Públicas, Literatura Colonial, Trovadorismo na MPB e outros. ;-)


MOBILE MARKETING COMO RECURSO DE RELAÇÕES PÚBLICAS: estratégia de relacionamento organizacional através do celular

FICÇÃO DISTÓPICA: novas fórmulas para jovens leitores

LEITURA LITERÁRIA NO VALE DO MAMANGUAPE: O perfil dos graduandos em Letras da UFPB - Litoral Norte (co-autoria)

PRIMEIRA DOMINGA DA QUARESMA: ALEGORIA ECONTRADIÇÃO NO DISCURSO DE ANTÔNIO VIEIRA

TROVADORISMO NA MPB: A primeira escola literária da língua portuguesa e sua influência na música popular brasileira


No momento, estou realizando muitas leituras. MUITAS mesmo, pois o Trabalho de Conclusão de Curso demanda que a gente viva, respire Fundamentação Teórica. Podem conferir na minha caixinha de "Lendo", no Skoob.

Em breve, também, o blog retorna de cara nova. Aguardo vocês ;-)

\\o BOAS LEITURAS o//

Comentários via Facebook

2 Comentários:

  1. É isso aí, Thay!
    Boa sorte no fim do curso. Estaremos esperando! Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Muito bem, This!
    Assim msmo, pra frente que se anda. A gente espera sim.
    Saudades!

    ResponderExcluir

Obrigada pela presença e participação! ATENÇÃO: Todos os comentários são moderados. Aqueles considerados inapropriados à nossa política serão automaticamente excluídos. Comentários anônimos não serão aceitos.