07 setembro 2016

[#PapoReto] Incentive a Leitura S2

A diferença entre o filósofo e o cidadão comum é que o filósofo pensa, e o cidadão comum deixa que os pensamentos passem por sua mente de forma aleatória. (Aristóteles)

POR QUE LER FAZ BEM À SAÚDE?
Ora, muito se pergunta, majoritariamente a nós, leitoras e leitores assíduos e apaixonados por um volume repleto de páginas [e quanto mais, melhor!!] sobre por que gostamos tanto de ler Literatura, Ficção, Não-Ficção, Fantasia, Contos de Fadas... Enfim! Por que amamos tanto LER? Ler me ensina a viver.

Foto: Skoob
Particularmente, eu tenho uma Veia Todorov quanto a isso. Tzvetan Todorov é um dos meus teóricos favoritos! Linguista e filósofo búlgaro, ele vive na França desde 1963. Foi aluno de Roland Barthes (Corações Eternos); lecionou na Universidade de Yale; escreveu sobre o Fantástico na Literatura e estudou e publicou as diferenças entre o Fantástico, Estranho e Maravilhoso. Sua obra é vasta e rica, quero na estante para todo o sempre, Amém! Eternamente, ele será referência em tudo que eu fizer, disser, ou escrever na vida, porque o amor que ele tem pela Literatura me inspira desde a primeira página de A Literatura em perigo (referências francesa e nacional logo abaixo). Mrs. Nancy Huston Todorov, how I envy you (*_*). Confiram todo o seu depoimento, de onde retirei este trecho, e como ele explica seu amor por essa arte:
Hoje, se me pergunto por que amo a literatura, a resposta que me vem espontaneamente à cabeça é: porque ela me ajuda a viver. Não é mais o caso de pedir a ela, como ocorria na adolescência, que me preservasse das feridas que eu poderia sofrer nos encontros com pessoas reais; em lugar excluir as experiências vividas, ela me faz descobrir mundos que se colocam em continuidade com essas experiências e me permite melhor compreendê-las. Não creio ser o único a vê-la assim. Mais densa e mais eloquente que a vida cotidiana, mas não radicalmente diferente, a literatura amplia o nosso universo, incita-nos a imaginar outras maneiras de concebê-lo e organizá-lo. Somos todos feitos do que os outros seres humanos nos dão: primeiro nossos pais, depois aqueles que nos cercam; a literatura abre ao infinito essa possibilidade de interação com os outros e, por isso, nos enriquece infinitamente. Ela nos proporciona sensações insubstituíveis que fazem o mundo real se tornar mais pleno de sentido e mais belo. Longe de ser simples entretenimento, uma distração reservada às pessoas educadas, ela permite que cada um responda melhor à sua vocação de ser humano” (Tzvetan Todorov em A Literatura em Perigo)
Naturalmente, Este é o homem que, abaixo de Deus, mais me inspira.
O ato de ler nos torna melhores seres humanos. Mas isto não se resume a uma atitude de "Vou ler Dom Casmurro hoje e ele vai mudar a minha vida!" ou "Acabei a Odisseia de Homero! Sou uma pessoa melhor agora!!". Não funciona assim. A mudança vai partir de dentro, e não de fora: ela ocorrerá quando a obra provocar em você o sentimento de catarse - aquela emoção tão intensa que te causa dor, ou a sensação de libertação, de alívio da tensão, uma purificação espiritual, um terror profundo, ou uma piedade intensa. Ou tudo isso junto, no caso de Medeia! A catarse acontece quando você se permite ler profundamente, mergulhar naquelas palavras, que são frutos de uma profunda pesquisa do autor, e reflete sobre as decisões e indecisões de um personagem.

Você conhece a sensação de embarcar para uma jornada medieval, com direito a dragões e fantasmas; ou quando viaja para o século XIX e se vê perdida em um Brasil de outrora; quem sabe, quando entra no barco com Odisseu e enfrenta diferentes criaturas mitológicas, que Percy Jackson e outros enfrentarão também no século XXI; ou quando viaja para Hogwarts, que, apesar de ser uma escola de Magia e Bruxaria, muito nos ensina sobre como Ser Humano; você entra em cruzadas, conhece mundos subterrâneros com a sua irmãzinha fofa; vai parar em ilhas misteriosas; conhece Tigres que também são Príncipes, e bastardos que virão a ser Reis. Você sente, porque mergulha, e não fica apenas nadando na parte rasa.

Isso ocorre porque a leitura nos ajuda a pensar e refletir melhor, estimula o nosso cérebro a funcionar mais criticamente, e a nossa boca a ter mais o que dizer, quando for aberta. Dizem que as pessoas que leem muito são introspectivas, tímidas, antissociais e caladonas. Discordo completamente e, mesmo que prefiram ouvir mais antes de comentar algo - o que já denota bastante sabedoria -, quando elas finalmente falam, você percebe que têm o que dizer, pois já têm bastante experiência acumulada.
Quem lê, tem o que dizer.

Mas, se isto não for o bastante para você, além de tudo, há benefícios biológicos, também! Ler é um excelente exercício para o cérebro, a memória e o raciocínio. A atividade aprimora a sua argumentação, a criatividade, a comunicação; desenvolve as suas habilidades linguísticas verbais e escritas e permite que você se expresse melhor, pois vai ampliar o  seu vocabulário. Nós evoluímos a cada leitura e lapidamos nosso senso crítico em vez de ceder a um estado alienado de recepção passiva; a leitura te ajuda a envelhecer com qualidade, fortalecendo seus neurônios e sinapses.

Ainda, os livros são objetos ricos e adequados a levar consigo no dia-a-dia: você pode escolher quais quer ler, quando e onde, e há acervos de tamanha vastidão, que nem todo tempo do mundo seria suficiente para ler todos os livros já publicados [muito embora bons bookaholics já tenham desejado isso. Eu, entre eles!].

É fato: a maior parte dos brasileiros reconhece a importância dos livros na educação e formação intelectual: basta verificarmos quantas pessoas responderam que Sim, nesse quesito, à 4ª edição da Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil e a pesquisas informais. Mas são poucos os que, de fato, adotam o hábito da leitura, ou, muito importante: a atitude da contação de histórias para crianças. Vocês conhecem o poder que existe no simples ato de ler para crianças? Vai transformar a vida delas! Não tornará suas mentes cheias de fantasias e ilusões, como muitos podem pensar ou dizer: Você, como orientador da leitura, pode fazer o melhor por elas, ensiná-las a despertar seu senso crítico, a partir disto, e enfrentar melhor os problemas, pois já conheceram histórias de pessoas que passaram por isto. Existe uma beleza no exemplo: na vida, podemos aprender por nossos próprios erros, e ficarmos mais espertos. Mas os sábios, estes aprendem pelo exemplo alheio, e não chegam a cometer muitos erros.

Que tal tomar uma atitude e mudar essa realidade da falta de leitura HOJE? Como sempre digo aos meus alunos e amigos: não precisam ler um livro em um dia [isso fica para maníacos por leitura. Como eu!]: você pode ler UM capítulo ou UMA QUANTIDADE de páginas por dia, e vai ver que será ótimo! Se puder conversar com alguém que já leu a mesma obra, ou convencer alguém - argumentar mesmo - de por que sua leitura é necessária, tanto melhor. Para você, e para essa pessoa. Existe uma quantidade de obras necessárias na vida. Livros que Precisam. Ser. Lidos. Merecem um post e vídeo, só com eles.

Incentivem seus filhos, sobrinhos, alunos, netos, vizinhos e todas as crianças e jovens, nesse hábito saudável desde pequenos, com livros infantis, cheios de figuras, cores e texturas diferentes! Ao passo que eles forem crescendo e o gosto pela leitura já estiver se condensando em suas mentes e corações, eles mesmos vão procurar livros diferentes, e encontrar seu próprio estilo favorito. Há quem curta Literatura Infantil pela vida toda, e até escreva [Oi ;-)]. Há quem prefira a Literatura Fantástica e quem goste de um bom romance... e há quem ame todos os estilos [Oi, de novo ;-)]!
Confiram a seção INCENTIVO À LEITURA, que está sendo reformatada também, porque estou sempre à caça dos projetos mais criativos sendo realizados por todo o Brasil! Quem sabe, um deles pode inspirar você, sua escola, e/ou seus alunos a adotar uma ação similar? Vale conhecer o site do Instituto Pró-Livro, o IPL, que apoia [assim como eu] toda sorte de projetos de incentivo à leitura no país. Vocês podem acessar o site aqui: INSTITUTO IPL.

\\o Boas Leituras o// 


REFERÊNCIAS RECOMENDADAS

Leitura
TODOROV, Tzvetan. La littérature en péril. Paris, Flammarion, 2007.
______. A Literatura em Perigo. Tradução de Caio Meira. 3 ed. Rio de Janeiro: Difel, 2010.



Este texto possui transcrição do vídeo homônimo, que será lançado esta semana ;-) 

Comentários via Facebook

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela presença e participação! ATENÇÃO: Todos os comentários são moderados. Aqueles considerados inapropriados à nossa política serão automaticamente excluídos. Comentários anônimos não serão aceitos.