28 dezembro 2016

[REVIEW] The Originals - Season 1

As séries de TV também são parte importante do que fazemos aqui, sobretudo quando elas são derivadas de livros que amamos! Como exemplo, temos The Originals, que começou como um spin-off de The Vampire Diaries, porém se expandiu tanto que superou a série de que derivou, ao menos na minha opinião. Como precisei parar de ver a terceira temporada, por conta da Universidade, revi tudo, e lembrei de porque su tão apaixonada por essa série. Este review pode conter spoilers, então se ainda não viu as séries, pare por aqui mesmo. Vamos começar com o trailer da primeira temporada incorporado.


SEASON 1



SINOPSE:
Há mil anos, os Vampiros Originais, criados por Esther Mikaelson por magia, caminham sobre a Terra: Elijah, Niklaus, Rebecca. Klaus Mikaelson não é apenas Vampiro, porém, ele descende de uma linhagem de lobisomens, o que o torna fatal para qualquer vampiro, pois sua mordida é venenosa, até mesmo contra seus irmãos - o que o torna o Vampiro mais poderoso na Terra... Por enquanto. Klaus também é neurótico, e quando descobre que uma bruxa está tramando algo contra ele, todos os seus sentidos e instinto de sobrevivência despertam. Ele está à caça de Jane-Anne Deveraux. Além dos Vampiros Originais, também contamos com a presença de Hayley, uma descendente de lobisomens que na verdade se chama Andrea Labonair e é a Princesa perdida dos Lobos Crescentes, do Bayou. E não apenas isto: ela, de alguma forma, está grávida de Klaus, após uma noite rápida entre eles, e que vimos em The Vampire Diaries. 

Nessa primeira temporada, conhecemos muitos personagens cativantes, maravilhosos, que enchem nossos olhos e corações: Marcel Gerard, o novo líder da cidade e membro honorário da família dos Originais, pois foi criado por Klaus (Marcel controla vampiros e bruxas em uma coexistência relativamente pacífica); Davina Claire (uma bruxa de 16 anos e com um imenso poder, única sobrevivente de um ritual maquiavélico no qual ela ainda está condenada a morrer; Sophie Deveraux (uma bruxa que perdeu a irmã e a sobrinha e, não tendo mais nada a perder na vida, decide ir contra tudo e todos para ter sua família de volta); Camille (uma bartender com diploma de Psicologia, que aprendemos a amar muito, especialmente por ser a única pessoa, humana ou de outra raça, capaz de desafiar e estapear Klaus Mikaelson e sair viva para contar a história); entre outros.

REVIEW:

Klaus dispensa comentários. E Joseph é o melhor ator que poderia representá-lo. Não vejo Klaus com o rosto e a voz de mais ninguém, além dele. Ele é fiel a seu personagem. Não falha na atuação e conseguimos amar odiando-o, ou odiá-lo amando-o. É muito estranho. É preciso conhecer Klaus. O roteiro da série me encantou, por não deixar nenhuma ponta solta, que eu tenha visto. A personalidade e os modos de Elijah me encantam e não me canso de ver Daniel Gilles em cena. Ele se mantém fiel ao personagem, e espero que possa interpretá-lo por muitos ano (haja maquiagem, pois eles precisam se manter jovens, rs). Elijah tem dureza no olhar e leveza no agir, menos quando se trata de defender sua família - caso em que, como seus irmãos, ele se transforma em monstro. Percebemos aqui que ele desenvolve um bonito afeto por Hayley, e que esse sentimento é recíproco, embora alguns acontecimentos venham provar que esse amor deverá ser calado por um bom tempo.

O elenco feminino dessa série nos representa muito bem: Seja a Vampira Original, Rebecca; a lobisomem Hayley; as bruxas Davina e Sophie; a humana Cami... Todas as mulheres dessa série sabem se defender muito bem em um mundo dito masculino. Elas são fortes, vão à luta e, se o mocinho chegar, tudo bem - mas elas sabem muito bem se virar sem ele, numa luta. Por um outro lado, como a temporada se passa em uma crise de tensão entre vampiros, lobos e bruxas, os humanos não são o ponto alto, são apenas casualidades, exceto por Cami, sempre presente. Sou muito fã dela. Não tenho pontos negativos a apontar nessa temporada, cumpriu o prometido, e fez mais. Houve um bebê milagroso, que descende de bruxas, vampiros e lobisomens, então essa menina promete; há um futuro sombrio pela frente. Todos temem "the miracle baby" e Hope ainda vai dar muito o que falar. O final da temporada é extremamente emocionante, pois mostra que apesar de todas as brigas, Klaus tem o apoio e amor incondicional de sua família, e é a ela que confiaria sua vida e a vida de quem mais ama.


NOTA: 

5/5

Comentários via Facebook

2 Comentários:

  1. Thay!
    Bom que fez review desde esse primeiro.
    “Não existem sonhos impossíveis para aqueles que realmente acreditam que o poder realizador reside no interior de cada ser humano. Sempre que alguém descobre esse poder, algo antes considerado impossível, se torna realidade.” (Albert Einstein)
    FELIZ 2017!
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela presença e participação! ATENÇÃO: Todos os comentários são moderados. Aqueles considerados inapropriados à nossa política serão automaticamente excluídos. Comentários anônimos não serão aceitos.