02 fevereiro 2017

[RESENHA] A Teoria de Tudo (Jane Hawking)

A história de Stephen Hawking é contada pela luz da genialidade e do amor que não vê obstáculos. Quando Jane conhece Stephen, percebe que está entrando para uma família que é pelo menos diferente. Com grande sede de conhecimento, os Hawking possuíam o hábito de levar material de leitura para o jantar, ir a óperas e concertos e estimular o brilhantismo em seus filhos entre eles aquele que seria conhecido como um dos maiores gênios da humanidade, Stephen. Descubra a história por trás de Stephen Hawking, cientista e autor de sucessos como Uma breve história do tempo, que já vendeu mais de 25 milhões de exemplares. Diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica aos 21 anos, enquanto conhecia a jovem tímida Jane, Hawking superou todas as expectativas dos médicos sobre suas chances de sobrevivência a partir da perseverança de sua mulher. Mesmo ao descobrir que a condição de Stephen apenas pioraria, Jane seguiu firme na decisão de compartilhar a vida com aquele que havia lhe encantado. Ao contar uma trajetória de 25 anos de casamento e três filhos, ela mostra uma história universal e tocante, narrada sob um ponto de vista único. Stephen Hawking chega o mais próximo que alguém já conseguiu de explicar o sentido da vida, enquanto Jane nos mostra que já o conhecia desde sempre: ele está na nossa capacidade de amar e de superar limites em nome daqueles que escolhemos para compartilhar a vida. O livro que inspirou o emocionante filme A Teoria de Tudo. (ADICIONE O LIVRO AO SKOOB)
HAWKING, Jane. A teoria de tudo: a extraordinária história de Jane e Stephen Hawking. São Paulo: Única Editora, 2014, 447 p.

Decepcionante.
Eu iniciei a leitura deste livro junto a um amigo que tem o mesmo, no projeto "Leitura Conjunta: Tirando os empoeirados da estante". Nós estabelecemos metas de leitura diárias, para compartilhamento de impressões ao fim do dia. O primeiro obstáculo veio quando percebemos que se tratava de uma biografia. Mas já havíamos iniciado, então prosseguimos.

Eu tenho muita admiração por Stephen King e embarquei na leitura esperando ver um belo relato sobre a vida em casal, com profundidade - afinal, são 447 páginas - e emoção; quis ler sobre a participação dele na Física e como ela esteve ao seu lado o tempo todo. Quem sabe até uma justificativa plausível para ela ter encontrado um amante e se separado dele. Mas não foi bem o que encontrei. 

A justificativa plausível para a traição estava lá.
Porém, em vez de ler sobre o que eu esperava, acabei me deparando com a descrição superficial e a enumeração de muitos fatos irrelevantes para a compreensão do que eu esperava na história. O livro me mostrou ser um diário das aventuras de Jane Hawking, independente da presença de Stephen, que se tornou um coadjuvante de aparição rara, quando os protagonistas eram o medo, a aflição, a perturbação e todas as sensações e experiências que Jane viveu. 

O livro é dividido em 4 partes, com número variado de capítulos (14, 12, 15 e 16, a saber), tem uma narrativa monótona, tendenciosa, com fonte pequena e sem profundidade nas descrições. Quando pensamos que ela se estenderá em um tema mais interessante, ela para, com o objetivo de narrar um outro fato irrelevante. 

Recomendo apenas para quem viu o filme e é colecionador.

NOTA:
2/5

Comentários via Facebook

1 Comentários:

  1. Thay!
    Achei que o livro fosse um pouco parecido com o filme, mas pelo jeito fizeram da adaptação cinematográfica algo bem mais primoroso.
    Gosto de livros em estilo diário, mas como viver com alguém e não inclui-lo em suas anotações diárias? Inconcebível, né?
    Desejo uma semana alegre e feliz!
    “Um saber múltiplo não ensina a sabedoria.” (Heráclito)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir

Obrigada pela presença e participação! ATENÇÃO: Todos os comentários são moderados. Aqueles considerados inapropriados à nossa política serão automaticamente excluídos. Comentários anônimos não serão aceitos.