15 março 2017

[RESENHA] Insurgente (Veronica Roth) - Pode conter spoilers!

PODE CONTER SPOILERS!

Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando. E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas. Em Insurgente, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama - e a própria vida – enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor. (ADICIONE O LIVRO AO SKOOB)
ROTH, Veronica. Insurgente. Rio de Janeiro: Rocco Jovens Leitores, 2013, 511p.
Acordo com o nome dele na boca. Will. (9)
UAU! UFA! Isso que é construir uma sequência de abalar o mundo. Insurgente é o segundo livro da trilogia distópica de Veronica Roth. Neste livro, cujo marco temporal é exatamente onde acabou Divergente, temos mais acesso ao lado humano de Tris, às filosofias das facções e a como aquela sociedade está reagindo às primeiras rebeliões e traições de facção contra facção. É ADRENALINA PURA.
É só saltitar um pouco enquanto anda, (...) agir como a flor amedrontada que você nunca será, e você ficará bem (82)
Em Insurgente, encontramos uma Tris refugiada na sede da Amizade junto a Tobias e Peter, da Audácia; Caleb, da Erudição; e Marcus, da Abnegação. Beatrice soma perda atrás de perda - seus pais, Will - e todos os sentimentos, de ódio a decepção e culpa se mesclam dentro dela, ressaltando sua condição humana, e não apenas a personalidade fulgurante e intrépida daquela fria integrante da Audácia que atirava a torto e a direito. Aquela incontrolável.
Você FALHOU. Você não é capaz de me controlar! Você NUNCA será capaz de me controlar! (368)
Insurgente começa em ritmo tranquilo, compassado. Refugiados na sede da Amizade, Tris e companhia conhecem sua representante, Johanna Reyes, que promete cuidar deles da melhor forma possível. Porém, viver entre os membros da Amizade tem certas implicações e logo o grupo que saiu da Abnegação/Erudição/Audácia vai perceber que, se quiserem ficar ali, não terão uma Voz, deverão evitar conflitos e ainda terão de se submeterem às regras locais. Mas serão eles capazes de evitar conflitos por muito tempo? 
A tristeza não é tão pesada quanto a culpa, mas rouba mais de nós. (370)
Beatrice presencia uma conversa suspeita entre dois líderes, e discute com Tobias quais seriam os possíveis segredos mantidos ali. Após uma batida da Erudição/Audácia, Tris, Quatro, Susan e Caleb fogem de trem e acabam em meio a um grupo de Sem-Facção. Uma vez revelada a identidade de Tobias, eles são levados a ninguém menos que a líder desse novo exército, Evelyn Johnson, que Quatro já conhece muito bem. Amei o livro desde a primeira página: quantas reviravoltas!! E que momento péssimo na história para ser Divergente! Tris faz algumas descobertas importantes e, entre suicídios manipulados na sede da Audácia, para onde todos voltaram, e a entrega dela como cobaia à Erudição, ela está perdendo o controle, mas nunca o foco.
Descobri que as pessoas são compostas por camadas e mais camadas de segredos. Você pode achar que as conhece, que as entende, mas seus motivos estão sempre ocultos, enterrados em seus próprios corações. Você nunca as conhecerá de verdade, mas às vezes decide confiar nelas. (494)
O livro aborda muito mais profundamente o relacionamento entre Tris e Tobias, traumas do passado que influenciam o presente, traições das mais covardes e surpresas entre inimigos declarados, dor, luto, morte e recuperação marcam essa sequência de DIVERGENTE. E O FINAL DEIXA VOCÊ ASSIM...


NOTA MÁXIMA!
5/5

Comentários via Facebook

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela presença e participação! ATENÇÃO: Todos os comentários são moderados. Aqueles considerados inapropriados à nossa política serão automaticamente excluídos. Comentários anônimos não serão aceitos.