04 abril 2017

[LANÇAMENTO] Títulos de José J. Veiga reeditados pela Companhia das Letras

BOM DIAAAAAAAAAAAAAA! Sabe aquele autor nacional do Realismo Mágico, que você respeita? Pois é: ele tem nome, e é José J. Veiga! O autor de Sombras de Reis Barbudos, que causou uma loucurinha na minha mente após ler, terá agora 4 de seus títulos relançados com capa nova pela Cia. Chequem as capas abaixo e também as sinopses a seguir. LEIAM VEIGA! Ele merece atenção, espaço e um lugar bem especial nas suas estantes. Recomendo com amor!


DE JOGOS E FESTAS
De Jogos e Festas, de José J. Veiga (1915-1919), reúne três novelas assinadas pelo prestigiado ficcionista: “De Jogos e Festas”, “Quando a Terra Era Redonda” e “O Trono no Morro”. Vencedor do Prêmio Jabuti em 1981 (Contos/Crônicas/Novelas), é mais uma grande obra o autor de Os Cavalinhos de Platiplanto. “As histórias de José J. Veiga, sejam quais forem os gêneros que pratique, enredam, intrigam, envolvem o leitor em embaraçantes lios, em enleios perturbadores”, afirmou Mário da Silva Brito. “Daí a necessidade – urgente – de descobrir-lhes o significado, de compreender-lhes a mensagem, de desvendar-lhes os símbolos. Provocativo, instigante, José J. Veiga impõe, suave e mansamente, esse exercício mental, por onde principia a fruição de raro prazer estético.” (SKOOB AQUI)
SARAIVA (44,90! hoje)

SOMBRA DE REIS BARBUDOS
Poderosa Companhia assim que se instala na Cidade, a todos os seus habitantes impõe regras de conduta e comportamento. A CIA não permite ser minimamente contrariada em suas rigorosas determinações. Dentro em pouco, o pânico e o medo, o terror e a desconfiança dominam o lugar. Ninguém mais pode livremente viver, amar e sonhar. Essas, em linhas sumárias, é a tensa e angustiante história de Sombras de Reis Barbudos. (SKOOB AQUI)
Saraiva (27,90 hoje)

A HORA DOS RUMINANTES
É um livro surpreendente, no qual é abordada a condição humana e sua reação diante das mudanças, repentinas, drásticas, inexplicáveis. Em "A Hora dos Ruminantes", o autor retrata, numa verdadeira "fábula moderna", a estória de Manarairema, uma pacata cidade de interior cuja rotina dos seus habitantes é quebrada por acontecimentos inexplicáveis. Primeiro, a chegada de homens estranhos, sisudos e inflexíveis; depois, uma invasão de cães que infestam a cidade por vários dias; e, por último, os bois, centenas, talvez milhares, por todos os cantos, ruas, casas, plantações, rios e cuja presença parece que nunca terá fim. (SKOOB AQUI)
Saraiva (27,90 hoje!)

OS CAVALINHOS DE PLATIPLANTO
Conjunto de 12 contos, Os Cavalinhos de Platiplanto (1959), obra de estréia do goiano José J. Veiga, o livro despertou a atenção da crítica e ganhou o Prêmio Fábio Prado, um dos mais disputados da época. O livro traz, no geral, histórias de reminiscências, a maioria da infância, contadas com grande simplicidade na primeira pessoa por narradores que procuram estabelecer uma relação de confiança sobre o que está sendo relatado. Outro aspecto desse tipo de foco narrativo merece destaque: o envolvimento psicológico entre o narrador e a história é maior, já que sua participação emocional é grande. Nestas fábulas, também é comum sobrevir a dissolução repentina do mundo organizado: com o desequilíbrio, os personagens passam a viver o clima do absurdo que se instala na narrativa. (SKOOB AQUI)
SARAIVA (34,90 hoje!!)

Curtiram? Amaram? Estou ansiosa para ler todos, pois tenho um real e mágico carinho pela narrativa de Veiga.

Quando José J. Veiga estreou na literatura, já era um homem maduro. Aos 44 anos, lançou, em 1959, Os cavalinhos de Platiplanto, um livro de contos de pouco mais de 150 páginas e tão contundente que os críticos não sabiam muito bem como classificá-lo. Alguns diziam tratar-se de literatura fantástica, outros faziam ressalvas. Veiga possui uma qualidade que inúmeros autores gostariam de ter, pois é capaz de agradar tipos muito diferentes de leitores, de jovens estudantes a leitores maduros, de admiradores da prosa fantástica aos fãs da narrativa realista. Com a reedição da obra completa do autor pelo Grupo Companhia das Letras, com prefaciadores convidados, fotos do autor e sugestões de leitura, José J. Veiga finalmente é resgatado para cravar a sua marca no grupo seleto de autores da melhor tradição literária brasileira. (Grupo Cia das Letras)


\\o Boas Leituras o//

Comentários via Facebook

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela presença e participação! ATENÇÃO: Todos os comentários são moderados. Aqueles considerados inapropriados à nossa política serão automaticamente excluídos. Comentários anônimos não serão aceitos.