26 fevereiro 2021

[26.02.21] QUARENTENA, DIA 344: RESENHA MATADOURO-CINCO (Kurt Vonnegut)

 
VONNEGUT, Kurt. Matadouro-cinco. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2020.

NOTA: 2/5

"É assim mesmo!"
Às vezes, você nada espera de um livro, e ele te arrebata! Em outras, você cria muita expectativa e ela não é suprida. Foi este o meu caso com este livro.

📚RESUMO
Comprei a edição especial do livro considerado Maior de Vonnegut, cujo estilo singular e humor são aclamados nos EUA. Na obra, ele fala da destruição de Dresden (ALE), durante a II Guerra, um evento maior que o de Hiroshima e Nagasaki, porém menos alardeado. Com um tom imaginativo, aqui e ali, divertido, sarcástico, crítico, segue as desventuras de Billy Pilgrim, ex-prisioneiro de guerra, que presenciou mortes, queimaduras, bombardeios em Dresden em 1945. Intercala o refúgio vivido num depósito subterrâneo de carnes com relatos insólitos de viagem no espaço-tempo, abarca a FC, piadas e reflexões. Lançado em 1969, em meio a movimentos, protestos e à guerra do Vietnã, o livro ganhou muita popularidade e fãs.

📝TINHA ALTA EXPECTATIVA..
Não sei o que esperava da obra, mas realmente não era isto, e lamentei muito, porque queria amá-lo. Comprei por ser citado em LOST e, de fato, encontrei a conexão na "soltura no tempo". Porém, nos primeiros 4 capítulos ele ainda não me fisgara. Esperei que os 6 seguintes me prendessem à história, mas me deixaram tão solta quando o Pilgrim estava no tempo (note-se o trocadilho com o "Pilgrim" = "Peregrino", isso foi legal, me lembrou Desmond Hume e a parte da turma que ficou ilha, na Season 4/5).

📝..NÃO ME CATIVOU
Ali pelo capítulo 6, ele me perdeu. Segui lendo, pelo desejo de ver algo que me espantasse ou chocasse ou que fizesse sentido, mas não achei. Com muita sede, fui ao pote. Não é que seja péssimo: apenas para MIM, como leitora, a experiência foi menos positiva do que eu esperei que seria. Espero e incentivo que vocês LEIAM e tirem suas próprias conclusões. Dele, quero ler ainda PIANO MECÂNICO e CAFÉ DA MANHÃ DOS CAMPEÕES ❤️

⚠️JÁ LERAM? Conta aí 😉😘

#kurtvonnegut #matadourocinco #ficçãocientífica #resenha #intrinseca #apilhadathay #lost #lostseries #livros #livrosemaislivros #livroseleitura #capadura #ediçãoespecial #slaughterhousefive 

 SE DESEJA\R COMPRAR O LIVRO, USA MEU LINK ;-)
 

11 fevereiro 2021

[11.02.2021] RESENHA HOMEM NO ESCURO (PAUL AUSTER)

 


HOMEM NO ESCURO, de Paul Auster [4.5🌟]


📚SINOPSE
Conhecemos aqui August Brill e Owen Brick. August: um crítico literário aposentado, que se vira como pode em casa, com uma perna esfacelada, viúvo, morando com a filha Miriam e a neta Katya. Owen: um personagem criado durante uma das crises de insônia de August e que tem uma missão intragável: assassinar o dono da guerra, a pessoa que criou os EUA paralelos e que está bagunçando todo o seu mundo - seu próprio criador, August. Owen VAI matar o cara?

📝VOCÊ NÃO SERÁ O MESMO DEPOIS DESTE LIVRO
É curioso e perturbador saber que August criou um personagem que deveria matá-lo. Ele é bem solitário, exceto quando está em companhia da neta, com quem vê e debate grandes filmes, seus aspectos técnicos e interpretações. A insônia o fez criar todo um novo mundo, onde as Torres Gêmeas não caíram. Enquanto Brick recusava a missão fatal, fiquei inclinada a pensar que o próprio August se debatia entre a ideia de aceitar (provocar) a própria morte ou negar esses impulsos. A guerra estava fora e dentro dele. É notável a falta que a esposa faz para August, cuja morte ele ainda não superou. A casa está em luto, também pelo namorado de Katya e o divórcio de Miriam (términos também geram luto). São pessoas da mesma família, vivendo o luto por outras 3 que amaram e perderam, numa casa em que o sono é um artigo raro. August está claramente em uma depressão "de mágoa e autorrecriminação" e não consegue sair.

📝INTERPRETAÇÃO
Afogando-se entre não suportar as perdas e a pressão de ser o Homem forte da casa, August cogita o próprio suicídio mas precisa colocar a culpa em outrem. Um personagem, para não admitir a responsabilidade daquilo. Tenta animar a neta como um subterfúgio para SE ajudar também. Poderá vencer as guerras travadas em sua mente e coração?

🌻Terminei a história com um entalo na garganta, chocada com a crueldade humana e com aquele desejo de ligar para meus pais e dizer que os amo, de novo. Demorei a pegar pra ler e, ao começar, li o livro todo de uma vez. Já leu O MUNDO DE SOFIA, já viu Matrix? Pois essa história vai te remeter a ambos. E mais!

⚠️GATILHOS: luto, depressão, suicídio

15 setembro 2020

[DBC JAMPA] Livro de Outubro: Androides sonham com ovelhas elétricas? (Philip K. Dick)



SKOOB: Rick Deckard é um caçador de recompensas. Ao contrário da maioria da população que sobreviveu à guerra atômica, não emigrou para as colônias interplanetárias após a devastação da terra, permanecendo numa San Francisco decadente, coberta pela poeira radioativa que dizimou inúmeras espécies de animais e plantas. Na tentativa de trazer algum alento e sentido à sua existência, Deckard busca melhorar seu padrão de vida até que finalmente consiga substituir sua ovelha de estimação elétrica por um animal verdadeiro; um sonho de consumo que vai além de sua condição financeira. Um novo trabalho parece ser o ponto de virada para Rick: perseguir seis androides fugitivos e aposentá-los. Mas suas convicções podem mudar quando percebe que a linha que separa o real do fabricado não é mais tão nítida como ele acreditava. Em 'Androides Sonham com Ovelhas Elétricas?', Philip Dick cria uma atmosfera sombria e perturbadora para contar uma história impressionante, e, claro, abordar questões filosóficas profundas sobre a natureza da vida, da religião, da tecnologia e da própria condição humana. (Distopia / Drama / Ficção científica / Literatura Estrangeira / Romance / Romance policial)

ISBN-13: 9788576574408
ISBN-10: 8576574403
Ano: 2019 / Páginas: 283
Idioma: português
Editora: Aleph

ANDROIDES SONHAM COM OVELHAS ELÉTRICAS,  ou BLADE RUNNER, do Philip K. Dick, é o livro de Outubro que será debatido junto ao DBC Jampa - Dystopia Book Club de João Pessoa-PB.

Estou em processo de leitura e já super amando o livro.
Se já leu e está lendo este post, deixa sua opinião aqui sobre ele ;-)




No Dystopia Book Club de João Pessoa (ou DBC JAMPA), sediado na capital paraibana, o mês de setembro será dedicado a um clássico de traços distópicos muito especial: O Último Homem, de Mary Shelly! Em meio à pandemia do novo coronavírus, será um grande desafio lermos esta obra, que também apresenta uma grande praga mortal, dizimadora de parte da população mundial no século XXI.

Profético? Vamos ler e descobrir!
O debate de O Último Homem ocorrerá, salvo quaisquer modificações, no dia 12 de setembro de 2020.
Para participar, basta mandar uma mensagem para o nosso IG, @dbcjampa

Sejam todes bem-vindes!