05 fevereiro 2020

[05/02] Resenha: A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata

SINOPSE DO SKOOB: Conheça Juliet Ashton, uma escritora que procura o tema de seu próximo livro e acaba encontrando-o na carta de Dawsey Adams, um fazendeiro desconhecido e morador da ilha de de Guernsey. Eles começam uma forte troca de correspondências, partilham suas vidas, sabores literários e o quanto a II Guerra afetou suas vidas. As cartas deixam Juliet curiosa sobre a ilha e contam o envolvimento dos moradores no clube de leituras, a Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata. Ademais, são o estopim do próximo livro da autora britânica. O clube foi formado de improviso, como álibi para proteger seus membros dos soldados alemães, mas acabou aproximando as pessoas de forma única. Instigada pelos depoimentos nas cartas, Juliet decide visitar Guernsey e a viagem lhe proporciona mais do que material para seu livro. A ilha oferece uma chance de recomeçar no Pós-Guerra, ter novos amigos e encontrar o amor real. "A sociedade literária e a torta de casca de batata recupera um mundo que se perdeu entre os escombros da guerra, feito de camaradagem e solidariedade, delicadeza e simpatia. Nele, a guerra – e a morte – é vencida por um batalhão de personagens igualmente sensíveis e sedutores, que conduzem os leitores pelas mãos, através de um narrativa, humana e marcadamente feminina, até o fim." (Epistolar, Romance, Clube de Leituras).
É isto que amo na leitura: uma pequena coisa o interessa num livro, e essa pequena coisa o leva a outro livro, e um pedacinho que você lê nele o leva a um terceiro (...) unicamente por prazer. (p.20)
Até o momento, estou muito feliz com as escolhas de leituras do ano. A SOCIEDADE LITERÁRIA E A TORTA DE CASCA DE BATATA é um livro tão encantador quanto é curioso o seu nome. O romance é todo escrito em forma de cartas. São correspondências que trocam notícias, revelações e até mesmo engendram um romance! Ler as cartas de outras pessoas, escritas em primeira pessoa, tem uma grande vantagem: você tem acesso a todo o pensamento e sentimento derramado ali, naquelas palavras, sem tanta interferência do narrador. As próprias personagens narram suas histórias, nas linhas de suas missivas.
Uma noite, em maio de 1941, uma bomba de alto poder explosivo foi lançada sobre o telhado da biblioteca do Inner Temple. O telhado da biblioteca estava a certa distância do posto de Juliet, mas ela ficou tão desesperada com a destruição de seus preciosos livros que se atirou na direção das  chamas - como se, sozinha, pudesse livrar a biblioteca do seu destino! (p. 55)
O livro é ambientado no cenário do Pós-Segunda Guerra Mundial e apresenta algumas de suas consequências. É tocante, forte, muito bem-humorado em vários pontos e quero reler apenas para ter o prazer de (re) conhecer aquelas pessoas cativantes de Guernsey. Tenho grande satisfação em ter tido este livro à minha cabeceira durante 7 maravilhosos dias. E de tê-lo levado no ônibus, à praia, aos cafés que visitei. É uma obra pra deixar uma marca em cada lugar do mundo. 

Se ANNE DE GREEN GABLES foi adorável, a palavra para definir A SOCIEDADE LITERÁRIA E A TORTA DE CASCA DE BATATA é: "Encantador". Simplesmente. Se deseja presentear alguém com uma obra que gere riso fácil e mostre uma protagonista arretada, forte, decidida, capaz de enfrentar o fogo para salvar seus livros (como muitxs de nós faríamos, né?), esta é a pedida. Leitura rápida e fluída, que pode ser concluída em poucos dias, sem você nem sentir.
NOTA: 5,0/5,0
ISBN-13: 9788532524102 
ISBN-10: 8532524109 
Ano: 2009
Páginas: 304 
Idioma: português 
Editora: Rocco

Comentários via Facebook

0 Comentários:

Postar um comentário

Obrigada pela presença e participação! ATENÇÃO: Todos os comentários são moderados. Aqueles considerados inapropriados à nossa política serão automaticamente excluídos. Comentários anônimos não serão aceitos.