20 março 2020

[20.03.20] Quarentena, dia 3: Maiores epidemias da história

  • 286.667 casos confirmados no mundo;
  • 11.888 mortes registradas;
  • 93.598 casos de alta;
  • 186 países afetados pelo COVID-19;
  • 987 casos confirmados de coronavírus no Brasil;
  • 11 mortes confirmadas no Brasil, sendo 9 em São Paulo e 2 no Rio de Janeiro (Fonte: World Meters)
AS MAIORES EPIDEMIAS DA HISTÓRIA
O Novo Coronavírus é algo nunca antes imaginado, ao menos por mim, numa era de tanta tecnologia, de avanços científicos e na Medicina, como a nossa Era. As bactérias e vírus, além de outros microorganismos, já causaram mais mortes a este planeta do que tsunamis, terremotos e guerras. Duvida? Apenas observe como eles trabalham na surdina.

Sabe qual o maior perigo destes serezinhos desgraçados? Eles não são barulhentos como a explosão de uma bomba; não recebem o sinal de alerta de um furacão ou de um tornado; não são tão visíveis quanto uma onda gigantesca se formando, depois de um recuo; não são tão perceptíveis quanto o chão se abrindo aos seus pés, depois de serem registrados como movimentação na escala Richter. Não. Os pequenos bastardos são silenciosos, sorrateiros, podem chegar a você até pelo mesmo ar que compartilha com quem ama. São uns filhos da mãe invisíveis e poderosos!

ATIVIDADES DO DIA E NÚMEROS DO COVID-19


Hoje, foi a primeira vez que saí de casa em três dias. a minha irmã finalmente trocou de carro e, há duas semanas fez a negociação, estivemos bem ansiosos, porque agora ela terá algo mais digital do que analógico. El coche é cheio de botões e eu, como boa ansiosa por botões desejei apertar todos de uma vez, mas tenho mais medo dela do que do coronavírus e tive de segurar a ansiedade. Talvez eu aperte alguns quando ela não estiver vendo, só pelo prazer de acalmar esse desejo insano. Obviamente, ela está lendo isto agora e a minha vida já está em risco. Foi um prazer falar com vocês.

Em todo caso, o prefeito de João Pessoa decretou que o transporte público seria suspenso a partir deste sábado, dia 21 e não sabemos quando será retomado. Logo, aproveitei que tinha carona disponível ontem para fazer compras que durem, pelo menos, nos próximos 15 dias da reclusão, porque sabe Deus quando tudo vai ser normalizado. Carros do Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba estão transitando em toda a orla da capital para pedir que as pessoas tenham a consciência de ficarem em casa, visto que esta é o momento mais crítico. Nossos governadores têm mais consciência que o próprio Presidente da República, que se contradiz a cada 5 minutos, aparece com máscara, diz que não está doente, embora pessoas próximas afirmem que ele está, tira a máscara para falar com a imprensa e planeja passar a Semana Santa em Fernando de Noronha - quando milhões de famílias brasileiras vão passar uma Semana Santa bem parca, afastadas de seus familiares, em isolamento. Muitas delas, precisando de atendimento médico e de um posicionamento humano e responsável do líder do poder Executivo no país - mas ele não deixou a adolescência, então estamos à mercê da sorte. Deus nos ajude.

Os números de casos confirmados e de mortes pelo coronavírus não param de subir e tenho a sensação de que estamos apenas começando um caos no Brasil, mas as ordens imediatas de quarentena, PELOS GOVERNANTES INTELIGENTES QUE TEMOS, foram as mais acertadas para impedirmos que ocorra aqui o que aconteceu na Itália, ou para que, ao menos, reduzamos os números de contaminados espalhando esse mal por aí. O número de mortos no "país da bota" já ultrapassa o da China, onde a população e seus governantes adotaram medidas drásticas para não perder mais do que as 3.000 e tantas pessoas que já faleceram. Enquanto os números na China estão estagnando, no resto do mundo, 186 países, está apenas começando.

Tive um pequeno break-down ontem, imaginando que podemos estar enfrentando o começo do Fim dos Tempos. E aqui fico eu, agarrada com 3 pacotes de biscoito recheado Treloso de chocolate, quando a nutricionista ordenou que eu devia estar lanchando uma fruta com algum iogurte natural. Estou sem estrutura para ficar sem doce nesse momento. Paciência, doutora. Nos vemos quando o mundo voltar ao normal. Já perdi 2 quilos, anyway, então não estamos caminhando tão errado, espero. O mundo não acabou quando houve cada uma das PIORES epidemias da história.

APOCALIPSE NOW?
É cedo para falar em apocalipse, creio eu. Pelo contrário, é hora de pensarmos no passado, aprendermos com nossos MUITOS erros como humanos, profissionais, filhos e filhas, pais e mães, e dar as mãos (claro que metaforicamente falando, fiquem em casa, isolados e sem pega-pega aqui e ali) para combatermos mais este mal. É a primeira vez na história que temos a chance de salvar o planeta simplesmente com a bunda jogada no sofá, lendo livros, vendo TV e NÃO COMPARTILHANDO FAKE NEWS. É a primeira vez na história que podemos nos comunicar simultaneamente com qualquer pessoa no mundo e ver os números de uma pandemia sendo atualizados em tempo real. Chequem sempre esse site, o WORLD METERS - CORONAVIRUS.

Pensando nisso, hoje quero falar das maiores epidemias da história: aquelas que dizimaram milhões na Terra. Se o mundo escapou dessas outras pragas não-egípcias, temos chances contra o Coronavírus - pode ter certeza de que, neste exato momento, ele é mais um desses bastardinhos invisíveis, que está tentando achar formas de se metamorfosear e de nos aperrear por mais tempo. Ele está lutando pra sobreviver. Por que nós não? Sem rogar praga pra ninguém, vamos às Epidemias!
TUBERCULOSE (1 bilhão de mortos)
VÍTIMAS: 1 bilhão
LOCAIS: Todo o mundo
PERÍODO: 1850 a 1950

Fonte: Google
Os primeiros indícios da Tuberculose foram encontrados em alguns esqueletos de aproximadamente  7 mil anos. Em 1882, quando se identificou o bacilo de Koch, seu agente causador filho-da-mãe, o combate recebeu novo fôlego. A doença tem ressurgido em alguns países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento, como o Brasil (loteria), e quando encontra portadores de HIV, ela aproveita a ocasião, visto que os pacientes estão com a imunidade comprometida. A Tuberculose é ALTAMENTE contagiosa, veja bem, é transmitida de pessoa a pessoa pelas vias respiratórias - como o COVID-19 também age. A doença ataca majoritariamente os pulmões e é tratada com antibióticos, podendo o enfermo estar curado em 6 meses. Ou não.

SINTOMAS:
  • Tosse, com ou sem secreção, que pode ser espessa ou até sanguinolenta
  • Cansaço excessivo e Falta de ar
  • Febre baixa, mais comum à tarde
  • Sudorese noturna
  • Falta de apetite e Perda de peso
  • Rouquidão e Fraqueza (Fonte: Ministério da Saúde)
VARÍOLA (300 milhões de mortos)
VÍTIMAS: 300 milhões
LOCAIS: Todo o mundo
PERÍODO: 1896 a 1980

Fonte: google
A Varíola foi uma verdadeira dor de cabeça para este mundo durante mais de 3.000 anos, intensificando-se entre fins do século XIX e fim do século XX. Nem gente como o faraó Ramsés II, a rainha Maria II da Inglaterra e o rei Luís XV da França escaparam da danada da “bexiga”. A vacina só foi descoberta em 1796, mas veja por quanto tempo ela permaneceu matando gente. O desgraçado do Orthopoxvírus variolae era transmitido de pessoa a pessoa, geralmente por meio das vias respiratórias (creio que é modinha e meme entre as doenças: "ME SEGURA QUE ALI HÁ UM PULMÃO E EU PRECISO ME INSTALAR"). A erradicação da doença só ocorreu a partir de 1980, depois de descoberta a vacina e de campanhas de vacinação em massa. Meu próprio tio teve e, até hoje, ele tem as marquinhas no corpo. Mas o sertanejo é um danado de forte, está vivo para contar a história e ver o coronavírus surgir como a nova bitch da festa.

SINTOMAS:
  • Febre, seguida de erupções na garganta, na boca e no rosto. 
  • Posteriormente, pústulas que podiam deixar cicatrizes no corpo
    PESTE BUBÔNICA (50 milhões de mortos)
    As pessoas que tratavam os doentes
    usavam roupas assustadoras.

    VÍTIMAS: 50 milhões
    LOCAIS: Continentes da Europa e Ásia
    PERÍODO: 1333 a 1351

    A Peste Bubônica (ou Peste Negra) foi a pior epidemia ocorrida no continente europeu, lá no século XIV. Obviamente, o combate a ela foi sendo fortalecido pelo saneamento básico nas cidades e pela higiene, que foi melhorando, ano a ano, além da redução da quantidade de ratos urbanos. A bactéria causadora de todo o problema se chamava YERSINIA PESTIS, muito popular em roedores, a exemplo dos ratos que vemos por aí, e era transmitida às pessoas pelas pulgas dos roedores contaminados. O tratamento era feito à base de antibióticos e matava em 60% dos casos (Fonte: Superinteressante). Em abril do ano passado, depois de 3 casos na China (CHINA!!!), foi questionado se ela poderia ameaçar novamente o mundo - incluindo o Brasil. A bendita da Yersinia pestis é endêmica em países com saneamento básico precário - entre estes, a OMS aponta Peru, Congo e Madagascar (ilha africana com epidemia mais recente dessa peste): em 2017, simplesmente, 2.417 pessoas contraíram a doença lá, e 209 morreram. Ela deve ser considerada um perigo em potencial e devemos caprichar na higiene e no sanitarismo público. (fonte: Abril Saúde). Para saber porque os médicos utilizavam esse icônico traje para cuidar dos pacientes que sofriam com a doença, chequem a excelente matéria do site AVENTURAS NA HISTÓRIA.

    SINTOMAS:
    • Inflamação de gânglios linfáticos
    • Febre alta e Tremedeiras
    • Vertigens e Dores localizadas
    • Apatia (Fonte: Superinteressante)
    AIDS (22 milhões de mortos)
    C. Goldsmith Content/Domínio Público
    VÍTIMAS: 22 milhões e contando!
    LOCAIS: Todo o mundo
    PERÍODO: desde 1981

    A AIDS foi identificada no ano de 1981, nos EUA. A partir daí, foi considerada uma epidemia pela OMS. O vírus HIV é transmitido pelo sangue, pelo esperma, pela secreção vaginal e também, tristemente, pelo leite materno. Até hoje, não foi encontrada uma cura para a AIDS. As pessoas soropositivas podem se tratar com coquetéis que reduzem a proliferação do vírus no sangue, mas não conseguem eliminá-lo do organismo. Essa doença já levou pessoas queridas do meio artístico, como:
    • Michel Foucault, filósofo, crítico e uma referência para nós no campo das Letras (1984); 
    • Lauro Corona, ator de Dancin' Days' (1989);
    • Cazuza, ex-vocalista da banda Barão Vermelho (1990);
    • Freddie Mercury, do Queen (1991);
    • Anthony Perkins, o eterno Norman Bates, de Psicose (1992);
    • Renato Russo, o saudoso líder do Legião Urbana (1996); 
    • Caio Fernando Abreu, jornalista e escritor tão popular ainda hoje, inclusive por citações que nem são dele (1996);
    • Sandra Bréa, atriz e uma das mulheres mais lindas do Brasil (2000);
     PESSOAS QUE CONVIVEM COM O VÍRUS
    • O jogador de basquete Magic Johnson (60 anos), membro do DREAM TEAM de basquete das Olimpíadas de 1992, convive até hoje com a doença, desde 1991.
    • O ator Charlie Sheen (41 anos), de Two and a half men e vários filmes de humor, convive com o vírus desde 2011.

    SINTOMAS:
    • Destruição do sistema imunológico, deixando o organismo frágil a doenças causadas por outros vírus, bactérias, parasitas e células cancerígenas
    GRIPE ESPANHOLA(20 milhões de mortos)
    VÍTIMAS: 20 milhões
    LOCAIS: Todo o mundo
    PERÍODO: 1918 a 1919

    Foto: U.S. Army photographer/Domínio Público
    Um ano foi o intervalo de ação.
    Eis que é chegada a vez de falar dele, o infame, o bastardo inglório Vírus Influenza. Este fdp foi um dos maiores vilões que já abateu suas garras virulentas sobre a humanidade. A pior epidemia recebeu outro nome, ainda hoje lembrado, de GRIPE ESPANHOLA, embora tenha assassinado gente no mundo inteiro. No Brasil, o Influenza matou até o presidente Rodrigues Alves. O vírus se propaga pelo ar, através de gotículas de saliva e espirros (alô modinha dos vírus). O tratamento do vírus é um verdadeiro desafio porque ele entra, ele age, ele finaliza o trabalho. O vírus está em constante mutação, porque, com um bom filho-da-mãe que é, deseja permanecer atacando e destruindo tudo que vê pela frente. Tipo o Trump. Isto dificulta que algum dia o ser humano se torne imune a ele. As vacinas já desenvolvidas ao menos evitam as formas conhecidas dele. Tomara que o Influenza e o Coronavírus não sejam primos.

    SINTOMAS:
    • Fortes dores de cabeça e no corpo
    • Calafrios
    • Inchaço dos pulmões
    SARAMPO (6 milhões de mortos por ano)
    VÍTIMAS: 6 milhões por ano
    LOCAIS:
    PERÍODO: ate 1963

    O bastardinho do Sarampo foi uma das maiores causas de mortalidade infantil até a descoberta da 1ª vacina, em 1963. Ao longo dos anos, essa forma de prevenção veio sendo aperfeiçoada e a doença foi erradicada em vários países. O sarampo era (e é) altamente contagioso, causado pelo vírus Measles morbillivirus, transmitido por meio das secreções mucosas (como a saliva) de pessoas contaminadas.  A vacinação deve ser realizada quando o bebê completa 9 meses e reaplicada quando completa 15 meses, talkey?

    SINTOMAS:
    • Pequenas erupções avermelhadas na pele
    • Febre alta e dor de cabeça
    • Mal-estar e inflamação das vias respiratórias
    MALÁRIA(3 milhões de mortos ao ano)
    VÍTIMAS: 3 milhões por ano
    LOCAIS: Mundo todo
    PERÍODO: desde 1980

    No ano de 1880, finzinho do século XIX, o protozoário Plasmodium, que causa a Malária, foi descoberto. Pois é, filho, "não adianta mais fugir", devem ter berrado os cientistas e médicos, à época. Para a OMS - Organização Mundial da Saúde - esta é a pior doença parasitária e tropical da contemporaneidade. Ela só não ganharia, segundo ela, da AIDS. A contaminação pode ocorrer pelo sangue, quando a pessoa é picada pelo nojento do mosquito Anopheles (já lembra uma desgraça egípcia), que já está contaminado pelo protozoário. Não há vacina, apenas alguns medicamentos - evite fazer piadinhas com a Malária.

    SINTOMAS:
    • Destruição das células do fígado, dos glóbulos vermelhos e até de artérias que levam sangue ao cérebro, tudo isso pelo protozoário
    TIFO (3 milhões de mortos)
    VÍTIMAS: 3 milhões
    LOCAIS: Europa oriental e Rússia
    PERÍODO: 1918 a 1922

    O Tifo é causado pelas bactérias do gênero Rickettsia e está diretamente conectado a países de 3º mundo, campos de refugiados e também campos de concentração, durante guerras, porque a extrema miséria apresenta o ambiente mais propício para a proliferação da doença. O Tifo Exantemático ou Epidêmico surge a partir do momento em que uma pessoa coça a picadinha da pulga e acaba misturando as fezes contaminadas desse inseto na própria corrente sanguínea (ECA!!! EU SEI!!!!!). Cuidado com aquela coçadinha que parece inocente. Já o tifo Murino ou Endêmico é transmitido pela pulga do rato. Não menos grave, igualmente nojento. O tratamento é feito com antibióticos, mas isto não impediu que três milhões de pessoas perecessem sob esta praguinha.

    SINTOMAS:
    Dor de cabeça e nas articulações
    Febre alta
    Delírios
    Erupções hemorrágicas na pele.
    CÓLERA (Centenas de milhares de mortos)
    VÍTIMAS: Centenas de milhares
    LOCAIS: Todo o mundo
    PERÍODO: 1817 a 1824

    Vibrião colérico
    Fonte: Google
    A Cólera é famosa desde Antiguidade, mas a primeira epidemia global ocorreu em 1817. Desde então, o vibrião colérico (Vibrio cholerae) sofreu várias mutações, buscando a sobrevivência, claro, e provocando novos ciclos epidêmicos de tempos em tempos. A contaminação acontece através de água ou alimentos contaminados. A bactéria vai se multiplicando no intestino e eliminando toxinas que provocam desarranjos no órgão. O tratamento ocorre por antibióticos, posto que estamos lidando com uma bactéria. A vacina existente hoje oferece apenas 50% de imunização, ou seja, sua eficácia é baixa.

    SINTOMAS:
    • Diarreia intensa (Fonte: Superinteressante)

      NOVO CORONAVÍRUS OU COVID-19 (38.000+ mortos)
      VÍTIMAS: 38.769 ao redor do mundo, até o fechamento desta edição atualizada (31/03/2020)
      LOCAIS: Surgiu em Wuhan, China, e se tornou Pandêmico em um mês
      PERÍODO: De 31/12/2019 ao presente momento
    Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. Seu novo agente foi descoberto em 31/12/2019, após casos registrados em Wuhan, na China. Ele provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19). Os primeiros casos em seres humanos foram isolados em 1937. Porém, só foi em 1965 o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, que lembra uma coroa (Corona, em espanhol). O que vivenciamos, neste exato momento, em 2020, é uma pandemia do Novo Coronavírus, que provoca pneumonia severa e afeta principalmente as pessoas mais idosas e aquelas com doenças crônicas, sejam cardíacas ou pulmonares. O contágio ocorre por gotículas de saliva de uma pessoa contaminada, quando ela tosse, espirra ou até quando fala, dependendo de como ela fala; e onde estas gotículas caírem, a superfície será contaminada. Assim, quando alguém colocar a mão em um objeto contaminado e levar a mão às mucosas (olhos, nariz ou boca), estará arrastando o vírus para si. É importante manter uma distância de, pelo menos, 1 metro da pessoa infectada. 

    Por também parecer-se com uma coroa, o novo agente tem sido chamado de Novo coronavírus.
    Os tipos conhecidos do vírus que infectam humanos são:
    - Alpha coronavírus 229E e NL63;
    - Beta coronavírus OC43 e HKU1;
    - SARS-CoV (causador da Síndrome Respiratória Aguda Grave ou Sars);
    - Mers-CoV (causador da Síndrome Respiratória do Oriente Médio ou Mers);
    - Sars-CoV-2: novo tipo de vírus do agente coronavírus, chamado de coronavírus, que surgiu na China em 31 de dezembro de 2019. (Fonte:Ministério da Saúde)

    SINTOMAS (Fonte OMS):
    Febre, sendo mais persistente no fim da tarde
    Cansaço
    Tosse seca (o vírus se instala na garganta por dias, antes de descer aos pulmões)
    FEBRE AMARELA(30.000 mortos)
    VÍTIMAS: 30.000
    LOCAIS: Etiópia
    PERÍODO: 1960 a 1962

    Adivinha quem já patenteou a Febre
    amarela em ambientes urbanos?
    Isso mesmo, o Aedes aegypti
    O impopular arbovírus do gênero Flavivírus, tanto na versão urbana quanto na campestre, provocou epidemias graves nas Américas e, principalmente, na África.  A vítima é contaminada quando picada pelo mosquito transmissor, que previamente já picara uma pessoa infectada e estava carregando o vírus. Isso mesmo, na cara dura. Nas cidades, o Aedes aegypti transmite a doença (apenas óbvio e esperado; estou vendo a hora ele querer patentear também o coronavírus e tocar o terror por aqui); e em ambientes de mata, os dos Gêneros Haemagogus e Sabethes tomam conta do recado. O período de incubação (o tempo entre a picada e a manifestação de sintomas) é de cerca de três dias.

    A taxa de recuperação é de 85% dos enfermos, que está curado em cerca de 4 dias. Mas aqueles 15% podem apresentar agravamento nos sintomas e acabar perecendo - o que ocorreu com os 30.000 etiopianos/etóipes. Existe uma vacina, sim! Ela pode ser tomada a partir de um ano de vida e deve ser renovada a cada 10 anos. Pois eu estou lascada, faz uns 20 que não tomo vacina nenhuma. Socorro!

    SINTOMAS:
    Febre alta e calafrios
    Mal-estar e cansaço
    Náuseas e vômitos
    Diarreia

    FONTES:

    Comentários via Facebook

    0 Comentários:

    Postar um comentário

    Obrigada pela presença e participação! ATENÇÃO: Todos os comentários são moderados. Aqueles considerados inapropriados à nossa política serão automaticamente excluídos. Comentários anônimos não serão aceitos.